terça-feira, 5 de julho de 2011

Iniciativa Saraiva: escreva ao Presidente contra a s privatizações

O Muy Nobre Saraiva escreve:
Lembrei-me do seguinte: escrevermos todos ao PR a pedir que interfira de alguma forma nestas medidas de privatizações.

Eu já lhe escrevi: http://www.presidencia.pt/?action=3

Possivelmente criarei um movimento nas redes sociais com um modelo de mensagem a enviar.

Isso mesmo!!!

Saraiva entendeu tudo: fazer, fazer e ainda fazer.

Não ficar à espera mas fazer: é este a única escolha com sentido.

Não temos outras hipóteses: não adianta esperar o dia das eleições, não adianta escrever ao diário local para queixar-se, não adianta esperar que alguém resolva os nossos problemas, não adianta esperar que alguém apareça com novas promessas.

Fazer ouvir a própria voz, contactar os directos interessados, tomar consciência de que esta é a nossa vida, não temos outras, e temos todo o direito de escolher.

Não funciona? Ninguém lê os que escrevemos?
Calma pessoal, não caiam nisso.

Claro, eu escrevo ao Presidente (e vou escrever logo a seguir), o Presidente lê "Epá, olha que o Muy Nobre Saraiva e o outro, o italiano, não estão nada satisfeitos com as privatizações, vamos logo parar isso".

Não funciona assim. 
Mas quando não um mas um grupo de cidadãos fazem ouvir a própria voz, isso não é inútil. 
Mesmo que a medidas em foco (a privatizações neste caso) não sejam travadas, acabámos de enviar um sinal, muito claro: "Atenção, estão a mexer em algo delicado, há por aí fora pessoas que prestam atenção, pessoas nada satisfeitas: melhor proceder com alguns cuidados".

Isso já tinha ficado claro com a abstenção nas últimas eleições? Não é a mesma coisa. Abster-se da votação é atitude passiva, escrever e fazer ouvir a própria voz é atitude activa. Uma diferença enorme.

A atitude passiva é a desejada por quem tenciona introduzir medidas contra a vontade dos cidadãos, a atitude activa não.
Muy Nobre Saraiva: vou publicar isso aqui e no Iniciativas Incorrectas. Ambos os blogues estão ao Seu dispor para apoiar e amplificar a iniciativa. 
Mande e nós, os humildes Leo e Max, iremos obedecer.

Entretanto, eis o endereço onde poder escrever ao Presidente da República Portuguesa: Link


Nota: em breve vou publicar um texto para os Leitores mais preguiçosos poderem copiar e colar. Protestos sem esforços...


Ipse dixit.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Proposta disponível OnLine

Como antecipado, Iniciativas Incorrectas publicou o Pedido de revisão do sistema de contribuição do Fundo Monetário Internacional.

A proposta pode ser assinada no site Petições OnLine.

Como o site pediu obrigatoriamente a indicação do números de assinatura, eu indiquei 10.000 como objectivo.
Poucas? Muitas? Não sei, mas acho não ser um problema. Nada impede, eventualmente, de re-apresentar a mesma proposta para colectar novas assinaturas uma vez atingida quota 10.000.

Nos próximos dias serão tomada as seguintes acções:

- apresentação das versões em língua inglesa e italiana
- difusão da iniciativa trâmite e-mail dirigida a vários blog e sites de língua portuguesa
- idêntico procedimento com blog e sites de língua inglesa e italiana uma vez publicadas as respectivas versões da proposta.
- comunicado de imprensa para sensibilizar os meios de comunicação (língua portuguesa; inglesa e italiana a seguir).
- sensibilização dos Leitores de Iniciativas Incorrecta e de Informação Incorrecta para que seja possível publicitar a iniciativa no âmbito das próprias famílias/amigos/colegas.
- criação dum post que fique de forma permanente logo abaixo o título do presente blog, de forma a ganhar a máxima visibilidade.

Por enquanto não lembro de nada mais.

Ah, sim, uma coisa: assinem, s.f.f.!